[¤] Abismo [¤]

Esse abismo que me cerca, que me acaba deixando a meno, que me deixa por fora da vida e que me trás tristeza enorme. Isso tudo causa dor, causa angústia, causa mais do que menos, ameniza minha felicidade e aumenta a minha tal tristeza.

Não me julgo triste, me julgo alguém que não aprendeu a lidar, mas apenas achou um jeito de me causar menos sofrimento. Me separo de todos, me deixo sozinho, tudo isso pra mim mesmo, pra não sofrer com as vozes, mas sim em silêncio.

E os dias passam, isso só aumenta, a vontade de ficar sozinho, a vontade de me tornar não sociável, ou ter novas pessoas na minha vida que não conhecem o meu jeito. Os dias passam, mas não passa essa vontade de ter bondade, mas não consigo resistir a ignorância. Os dias passam e só me vejo diferente, me vejo paciente, mas por dentro rangido os dentes. Os dias passam, mas a minha vida parou, parou naquele dia que você saiu pela porta e deixou tudo, sem olhar pra trás, foi embora.

[¤] Dia Cansativo [¤]

É muito cansativo ser o único decidido na relação. As vezes a tenção de ter alguém junto contigo te deixa inimigo de si mesmo, tu começa a agir de forma diferente e deixar o ruim ti dominar.

Eu tento fazer sentido pra não deixar tu se esquecer que o que eu sinto é verdadeiro. O que eu sinto me domina, mas não me termina em sofrimentos. Choros são sempre bem vindos quando não restar mais palavras certas a serem ditas. A voz que tenta me guiar quer me levar pra longe da tua companhia, mas resisto e consigo ouvir a minha própria voz que ao contrário dos nós, ela não é cega.

Então o dia termina, com ou sem você, eu descrevo um sonho, que não significa nada pra ninguém. No final são apenas vontades da tal voz que faz rangir os dentes, com olhos que enxergam os outros a volta, mas não discorda do que estão falando, apenas concorda com tudo e todos.

[¤] Tudo fora do normal [¤]

Eu esperava mais de muita gente, e não esperava que muita gente voltasse. Quem eu mais queria no momento simplesmente desapareceu, mas queria que tudo fosse com ela, embora, mas ela deixou um rastro de destruição, fez o que pode contra o meu coração. Dentro da destruição, os destroços são lembranças felizes e tristes jogadas que agora não servem pra nada, até por que lembrar acaba fazendo mal, a falta que faz todos esses momentos acabam destruído mais coisas e mais esperanças de que um dia terei algo de novo.

Eu recebi com braços abertos aqueles que eu não esperava voltar. Mas ainda sim não esqueci quem eu queria deixar pra trás. Por um ou dois momentos eu penso que esqueci de vez, mas basta uma vez olhar o céu que já acabo lembrando de você. Seja lá quem for.

Talvez isso possa ser chamado de doença, acontece com muita gente, amar quem não está nem aí pra ti, se apaixonar por pessoas que você trocou apenas um olhar. Isso tudo faz sofrer, mas as vezes só queremos atenção dessas pessoas, e isso é o objetivo de ser atencioso e fazer tudo certo. Esperamos ser recompensados no final, mas não sabemos que o final é quando trocamos um olhar. Não será melhor que isso. Simplesmente a história começa e termina em apenas um olhar, mas quem disse que eu, ou tu, desistimos? Eu continuo tentando fazer essa história ter uma, pelo menos uma, continuação de dez páginas, pelo menos dez páginas de gratidão ou algum sentimento bom e mutuo.

A chance que eu tenho é eu ter uma idéia pra poder escrever, por que o escritor sou eu, e se eu não me fazer por merecer, não escreverei nada relevante.