[¤] Medo [¤]

Eu morro de medo de perder o que eu tenho, e do jeito que eu prendo, eu sinto que vou acabar perdendo. Do jeito que eu sustento, mais tarde ou mais cedo, eu vou sofrer da falta desse sentimento. Esse medo que me priva de ser quem sou, destrói tudo por dentro, mas não acaba com o meu sofrimento. Aliás, esse sentimento nunca me trouxe bons ventos. Sempre deixa o meu mar de ressaca, com aquelas cargas negativas que transformam o meu sol, do norte, em tempestade, ao sul.

Eu costumo levar a sério todos os momentos, todos os contratempos que nos levam ao incomodo conjunto. As crises, ou os simples deslizes, que nós vivemos ao longo do tempo, são experiências adquiridas, e concebidas para que um dia possamos agir diferente. Pelo menos pra deixar contente quem queremos bem. Próximo do perfeito é o que eu gostaria de ser para você, mas me perto no espelho de ser alguém diferente do que sou, e isso é o mínimo para me deixar arrebatado, sem você.

Eu poderia viver sem mudar, mas tenho medo de você desapegar, e deixar seu pensamento voar pra longe de mim. O meu medo é maior que qualquer precipício, e isso eu consigo admitir sem vergonha. Mesmo com tamanha ironia ao te ver chegar tão tarde, eu consigo te receber com um sorriso, o mesmo de quando você estiver partindo, mesmo sem me contar a verdade de que nunca queria ter vindo.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s