[¤] Sinto Diferente [¤]

É tudo besteira, coisas tão banais que acabam como verdadeiras. São escolhas e erros, os acertos ficam sempre pro dia seguinte. É tudo tão preto e branco, sem vida, tudo que um dia foi tão colorido, intenso, que acabava com os choros e trazia sorrisos duradouros. São pequenos detalhes que ninguém liga, aqueles mínimos que as pessoas deixam passar. Eu nunca quis ser como todos, mas isso me causou a vida, me deixando desse jeito, que se importa com os detalhes e os tranforma no contexto de toda a minha história. Isso tudo é tão desnecessário, mas só me dou conta quando estou algemado à morte, quando estou longe do meu espírito forte e a um passo do meu fraco desejo.

Todo dia eu quero descrever em palavras o que eu sinto, ou o que vejo. Eu tento descontroladamente sentir em meio a tanto sofrimento o que todos sentem. Um pouco disso pelo menos. As vezes me pergunto se as pessoas à minha volta nasceram assim, ou assim a vida as tornou. É difícil de acreditar que existe tanto desprezo e nem um pouco de vontade de se interessar pela vida de outras pessoas. Saber, cuidar, amar, ter alguém do lado para conversar durante o dia. A necessidade de alguém perto me deixa quieto quando não encontro sentido algum da minha existência. É uma sensação estranha que me cerca e me prende no chão quente, e eu querendo voar de encontro ao vento e sorrir sem nenhum lamento, acabo decepcionado comigo mesmo por não ser forte o bastante pra deter esse sentimento que me destrói por dentro.

Advertisements

[¤] Quem é você? [¤]

Quem é você? Esse alguém que eu tanto clamo um encostar, essa tal presença que eu vivo a cogitar. Será que você onde quer que esteja está a me procurar? Eu tanto quero ti falar tudo que eu sinto, mas tão pouco acho esse alguém perdido aos meus olhos. Eu tanto espero alguém que me entenda, mas tão pouco eu me entendo para me explicar.

Quem é você? Essa vida inteira nos meus pensamentos, passando comigo por tudo em silêncio. Não te vejo, e por isso eu choro. Eu tanto achei pessoas cheias de alegrias, mas por dentro vazias de sentimentos por mim. Eu tanto quero ser o motivo do sorriso desse alguém, mas tanto tempo passou que fazer sorrir já é difícil pra mim.

Quem é você? Esse presente que me prende ao passado sem ninguém. Esse vazio que me tende a ser frio. Eu tão pouco vejo nas pessoas que acabo perdendo o que eu mais quero. Eu tanto exijo de mim mesmo que acabo vivendo a vida desse alguém. Eu tão pouco vivo que acabarei morrendo sem ninguém.